HOJE NA TV: Eu Sou a Lenda

eu sou a lenda

A SOLIDÃO DOS OUTROS

Há coisas inexplicáveis em Eu Sou a Lenda que o tornam um filme estranho. Inicialmente, acompanhamos o último homem da terra sozinho e a câmera se debruça sobre o humano, aproveitando-se da simpatia fotogênica de Will Smith. Focado no homem e sua capacidade tolhida de ser (ora!) humano, o filme mantém seu interesse, pois não se atém a dar explicações, teorias e fabulações milagrosas de futuro apocalíptico. Estamos apenas no terreno do que é essencialmente humano.

Isso dura pouco, afinal, as necessidades de um produto cinematográfico acabam vencendo e a ação tem que comer solta durante a maior parte do tempo. Nesse ínterim, o filme fica banal, previsível e piegas. A sua força vital sai da simpatia de seu protagonista solitário (e, portanto, do lado humano) e passa para os efeitos especiais, ação, correria, bem e mal, salvação, grandes temas humanitários.

Fico pensando se este não seria um filme para o Godard de Viver a Vida, pois falta aqui o que sobra no de 1962: entender que a tragédia das pessoas solitárias é movida pelo confronto da natureza desses seres humanos (a saber: repleta de vontade de vida) com o meio em que vivem, repressor de suas essências.

Eu Sou a Lenda, dir. Francis Lawrence (HBO – 19h10)

Anúncios
1 comentário
  1. Nina disse:

    Pra mim o filme fica uma bosta quando a Alice Braga aparece. Nada contra ela, mas como você disse, o filme é bem melhor na primeira parte (só ele e o cão!).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: